Tempo seco, com noites frias e dias quentes – cuidado com a saúde

Quarta-Feira, 10 de Julho de 2019 às 08:57 - Meio Ambiente

Com a chegada do inverno típico do cerrado goiano, com tempo seco, noites frias e dias quentes, é comum as pessoas começarem a se preocupar mais com as doenças comuns nesta época do ano: resfriado, asma, bronquite, rinite e gripe, inclusive a causada pelo vírus H1N1, e alergias de pele, que estão entre os males que apresentam aumento na incidência.  É por esse motivo que alguns cuidados especiais devem ser tomados, principalmente por crianças e idosos, que, em geral, têm um sistema imunológico mais frágil. Mas os adultos também devem se cuidar.

 

A médica imunologista Lorena Diniz, do Hospital Estadual Materno Infantil DR. Jurandir do Nascimento (HMI), alerta que algumas delas são preveníveis por vacinas. São elas: gripes influenza, pneumonias, bronquiolites, coqueluche e sarampo. “Estar com a caderneta de vacinação em dia é um passo importante para combater esses distúrbios”, garante. Ela também afirma que a adoção de medidas simples, como o hábito de lavar as mãos, evitar frequentar ambientes com grandes aglomerações e lugares fechados, aumentar a ingesta de líquidos e manter uma alimentação saudável, rica em vitamina C, contribuem para manter longe de crianças e idosos os males comuns do inverno.

 

Lorena fala ainda da importância da prevenção dos adultos, pois eles geralmente são responsáveis por transmitirem infecções respiratórias para crianças e idosos. Eles são denominados de portadores saudáveis, pois transmitem as infecções sem apresentarem sintomas. “Por esta razão é importante a vacinação de adultos. Eles também podem se prevenir com as vacinas, que não são indicadas apenas para crianças”, orienta a imunologista.

 

Assistência médica

 

Lorena esclarece que tanto crianças quanto adultos precisam procurar assistência médica, se apresentarem um quadro de febre alta acompanhado de sintomas como fraqueza, falta de apetite, prostração, falta de ar, cansaço, tosse constante e dores no peito. “Quanto mais precoce for o tratamento, maiores as chances de uma boa recuperação”, diz a médica.

 

Questão de pele

 

A baixa umidade registrada de junho a outubro no Planalto Central propicia ainda o ressecamento da pele, abrindo caminho para outros males dermatológicos. Segundo a dermatologista Mirian Castilho, a mais comum é a dermatite atópica e a de contato. Esses distúrbios apresentam erupções e coceira.

 

Assessoria de Comunicação da AGM

Fonte: SES GO