Moiporá

Diz-se que por volta do ano de 1930, a região foi desbravado pelo Sr. Sebastião Moreira e seus filhos, que construiram seu três primeiros ranchos no local de solo fértil e perenes mananciais de água. Com a chegada de novos moradores, à localidade que aí se iniciava, foumou-se o arraial denominado "Cobó", nome originado do facão sem cabo, usado pelo pioneiro contra credores.
Para a formação urbana do patrimônio e a construção da primeira capela dedicada a São Sebastião, os senhores José Marcelino Bernardes e José Marcelino de Melo doaram uma área de terras com três alqueires goiano. Atraídos pela fertilidade do solo estabeleceram no povoado as famílias Machado e Diniz, que se juntaram à família Moreira, dando impulso progressista ao lugarejo nascente.
Com o desenvolvimento alcançado, o povoado de "Cobó" foi elevado à condição de distrito, subordinado ao município de Aurilândia, através da Lei Municipal nº 16 de 08/10/1953, com o Topônimo de Moiporá, termo riginário da junção do nome dos municípios vizinhos de Moitu, hoje Cachoeira de Goiás, e Iporá. Tendo sido solenemente instalado em 10/10/1953, sob a presidência do Sr. Espiridião de Souza, então prefeito de Aurilândia.
Sua autonomia político-administrativa se deu pela Lei Estadual nº 2.136 de 14/11/1958, tendo sido insalado solenemente dia 01/01/1959, passando a constitui termo da Comarca de Aurilândia.
Principais vultos hostóricos do município: Sebastião Moreira da Silva, Livertino Francisco Diniz, João Batista Lopes, José Marcelino Bernardes, José Marcelino de Melo e Manoel Barbosa de Araújo.
Pela Lei Estadual nº 8.852 de 10/06/1980, Moiporá adquiriu do município de Israelândia, o distrito de Messianópolis.
Atualmente o município é termo da Comarca de Ivolândia.
Aos naturais do município dá-se o nome de "moiporaense".
Em divisão territorial de 01/07/1983, o município é constituido de dois distritos: Moiporá e Messianópolis.
Assim permanecendo em divisão terrotrial datada de 2007.

 

Gentílico: moiporaense

Municípios Goianos