Itaberaí

Pequeno rancho e curral, às margens do Rio das Pedras, deu origem ao povoado, no século XVIII.
A Capitania de Goiás estava, em 1755, sob o comando do Conde de São Miguel, D.Álvaro José Xavier de Távora, quando as terras do alto do Rio Uru passaram ao domínio dos irmãos Távora. De suas fazendas da Quinta e Santo Izidoro, deu-se a fuga do gado para a várzea do Rio das Pedras e, na impossibilidade de arrebanhá-lo, construiu-se ali um curral. No fim do século, chegou o primeiro habitante, conhecido como Cabral que, no intuito de se apossar do lugar, construiu um rancho.
Ciente de seus domínios, o Capitão-Mor Salvador José Pedroso edificou outro curral, no local da atual Igreja Matriz, e uma capelinha onde eram rezadas ladainhas. Nasceu assim a povoação, sob a invocação de Nossa Senhora D'Abadia.
Em 1819, segundo Augusto Saint Hilaire, o naturalista, a povoação de Curralinho, como ficou conhecida, já apresentava relevante progresso, contando-se 52 casas.
À criação extensiva de gado, aliada ao clima e abundância de pastagens, deve-se o grande surto de desenvolvimento.
Passou a denominar-se Itaberaí, em tupi Rio das Pedras Brilhantes, por estar às margens do Rio das Pedras.
Hoje, Itaberaí se destaca, na região do Mato Grosso de Goiás, pela expressiva produção agrícola e intensa criação de gado, além da tradicional exploração de jazidas de calcário da serra Gongomé.
Os habitantes do município são conhecidos como itaberinos.


Gentílico: Itaberino

 

Formação Administrativa
Freguesia criada com a denominação de Nossa Senhora da Abadia do Curralinho, por lei ou resolução Provincial nº 5, de 05-12-1840.
Elevado à categoria de vila com a denominação de Nossa Senhora da Abadia do Curralinho, pela lei ou resolução provincial nº 416, de 09-11-1868, desmembrado do município de Goiás. Instalado em 1885.
Elevado à condição de cidade com a denominação de Nossa Senhora da Abadia, pela lei estadual nº 253, de 22-07-1903.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município se denomina Curralinho é constituído do distrito sede.
Pela lei municipal nº 80, de 09-1913, é criado o distrito de Goiabeira e anexado ao município de Curralinho.
Nos quadros geral do recenseamento de I-IX-1920, o município é constituído de 2 distritos: Curralinho e Goiabeira.
Pela lei estadual nº 762, de 05-08-1924, o município de Curralinho passou a denominar-se Itaberaí.
Pela lei estadual nº 602, de 19-01-1931, desmembra do município de Itaberaí o distrito de Goiabeira. Elevado à categoria município com a denominação de Inhumas.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 2 distritos: Itaberaí e Cruzeiro do Sul.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Itaberaí e Cruzeiro do Sul.
Pelo decreto-lei estadual nº 8305, de 31-12-1943, o distrito de Cruzeiro do Sul passou a denominar-se Itauçu.
No quadro anexo para vigorar no período de 1944-1948, o município de Itaberaí é constituído de 2 distritos: Itaberaí e Itauçu ex-Cruzeiro do Sul.
Pela lei estadual nº 175, de 11-10-1948, desmembra do município de Itaberaí o distrito de Itauçu. Elevado à categoria de município.
Em divisão territorial vigente em 1-V-1950, o município é constituído do distrito sede.
Pela lei municipal nº 86, de 25-07-1958, é criado o distrito de Taquaral e anexado ao município de Itaberaí.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Itaberaí e Taquaral.
Pela lei estadual nº 4953, de 01-10-1963, desmembra do município de Itaberaí o distrito de Taquaral. Elevado à categoria de município com a denominação de Taquaral de Goiás.
Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.
ÁREA TOTAL DO MUNICÍPIO: 1.471,173km²


Alterações Toponímicas Municipais
Nossa Senhora da Abadia do Curralinho para Curralinho alterado, em 1911. Curralinho para Itaberaí alterado, pela lei estadual nº 762, de 05-08-1924.

Municípios Goianos