Baliza


O povoamento desta região teve origem com a descoberta de jazidas de diamantes, em 1924, às margens do Ribeirão João Velho, pelos garimpeiros Cosme e Borges.
Iniciada a exploração e constatada a riqueza da jazida, a notícia atraiu grande número de famílias que se estabeleceram, nas proximidades do garimpo, iniciando-se o povoado que recebeu o nome de Baliza, nome decorrente da existência de uma pedra, de 5 metros de altura, no meio do Rio Araguaia, que banha a região.
Em 13 de dezembro de 1930, com a evolução do garimpo e o consequente crescimento da população, o povoado foi elevado à categoria de distrito, pelo Decreto nº 4, integrando o município de Rio Bonito, atual Caiapônia.
Pela lei estadual nº 91, de 27 de outubro de 1936, o distrito tornou-se município, sendo suas divisas fixadas, em 11 de julho de 1942, pelo Decreto Estadual nº 5.911.
Com a emigração dos garimpeiros, pessoal na maioria nômade, para novas minas em Mato Grosso e a evasão de outros atraídos pelas obras da Fundação Brasil Central em Aragarças, onde havia grande demanda de operários, Baliza esvaziou-se, declinando-se paulatinamente, restando apenas monchões abandonados: Loca da Ponta da Serra, João Velho, Pacu, Praia Rica, Deixado, Lua, Carreira Comprida, Pedra do Zé Dias, Pedra da Baliza, Poço dos Alemães e outros, de onde se extraíram mais de 2000 quilates de pedras preciosas.
Suas ruas ainda conservam o traçado irregular, formando meandros ao longo da margem do rio e suas casas guardam o estilo antigo, algumas abandonadas e em ruínas, permanecendo vivos, entretanto, os hábitos típicos da vida garimpeira.


Gentílico: Balizense

Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de Baliza, pelo decreto nº 4, de 13/12/1930, subordinado ao município de Rio Bonito atual Caipônia.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Baliza, figura no município de Rio Bonito.
Em divisões territoriais datadas de 31/12/1936 e 31/12/1937, o distrito figura no município de Rio Bonito.
Elevado à categoria de município com a denominação de Baliza, pela lei estadual nº 91, de 27/10/1936, alterado em seus limites, pelo decreto-lei estadual nº 5.911, de 11/07/1942, desmembrado de Rio Bonito. Sede no distrito de Baliza ex-povoado. Constituído de dois distritos Baliza e Bom Jardim, ambos desmembrados de Rio Bonito. Instalado em 07/09/1942.
Pelo decreto-lei estadual nº 8.305, de 31/12/1943, o distrito de Bom Jardim passou a denominar-se Ibotim e o município de Rio Bonito a chamar-se Caiapônia.
Em divisão territorial datada de 01/07/1950, o município é constituído de 2 distritos: Baliza e Ibotim.
Pela lei municipal nº 5, de 05/11/1951, é criado o distrito de Aragarças e anexado ao município de Baliza.
Pela lei estadual nº 788, de 02/10/1953, desmembra do município de Baliza o distrito de Aragarças. Elevado à categoria de município.
Pela lei estadual nº 813, de 14/10/1953, desmembra do município de Baliza o distrito de Ibotim. Elevado à categoria de município com a denominação de Bom Jardim de Goiás.
Em divisão territorial datada de 01/07/1960, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.
Ressalte-se que em sua fase de apogeu, Baliza recebeu figuras ilustres, assim como em 1930 o Mal. Cândido Mariano da Silva Rondon, em 1934 o Senador da República Nero Macedo, em abril de 1936 foi a vez da família real brasileira composta do Principe Dom Pedro de Alcântara Orleans e Bragança que trouxera consigo os filhos e que na ocasião foram hóspedes da família jacobson e em 1040 o interventor federal Dr. Pedro Ludovico Teixeira também visitou a localidade.
O município atravessa as rodovias GO-194 e GO-515.

Municípios Goianos