Municípios cortados pela ferrovia Norte-Sul discutem aumento de exportações

12/07/2017 17:28
Municípios que são cortados pela ferrovia Norte-Sul estão discutindo a possibilidade de abertura de novos mercados de exportações para a Europa, utilizando como porta de entrada Portugal. Com esse objetivo a Associação Goiana de Municípios (AGM) e a Câmara de Comércio Brasil Portugal (Secção/GO) promoveram nessa terça-feira (11) uma reunião com prefeitos e representantes de 32 municípios quando se tratou da visita de uma missão goiana à Lisboa no período de 17 a 24 de setembro próximo. Da agenda constam visitas ao porto de SINES um dos maiores do mundo, ao Mercado Abastecedor de Lisboa, reuniões com empresários que atuam na importação de produtos agropecuários e hortifrutigranjeiros, visita às empresas do setor ambiental que atuam com a reciclagem de resíduos sólidos, empresas de geração de energias renováveis geradas através da luz solar. Entretanto, o foco principal será a abertura do mercado para exportação.
 
O representante da Câmara de Comércio Brasil-Portugal para o Centro-Oeste, sucursal Goiás, Ivan Marques, informou que a Europa hoje tem um grande interesse na importação de produtos alimentícios, “basta para tanto que eles tenham qualidade e preços competitivos”.
 
Com relação aos preços eles poderão ser reduzidos através da utilização do transporte pela ferrovia Norte-Sul, utilizando a via norte, através do porto de Itaqui, no Maranhão. “A Ferrovia já está concluída nesse trecho, bastando apenas ser colocada em operação”, salientou, acrescentando que nesse caso, também, o tempo do transporte pode ser reduzido em até 11 dias.
 
Vários prefeitos participaram da reunião e demonstraram interesse em participar desse projeto. Pedro João Fernandes, prefeito de Porangatu, acredita que a produção na região, e até a diversificação de produtos, podem ser incrementadas. Hoje, em seu município, uma unidade frigorífica já abate 500 animais bovinos por dia, mas esse volume pode aumentar. Também, com a chegada da ferrovia, já se constatou um aumento no plantio de soja em vários municípios.
 
O representante da AGM na Câmara de Comércio Brasil-Portugal, prefeito Itamar Leão, defende essa aproximação com o mercado europeu e acredita que a utilização da ferrovia será muito importante na facilitação do transporte dos produtos e na redução dos custos de exportação.
 
O presidente da Associação Goiana de Municípios, Paulo Sérgio de Rezende (Paulinho) achou importante a iniciativa. “A AGM apoia todas as medidas que beneficiem os municípios goianos e vemos nessa a possibilidade de aumentar as exportações, incentivar o crescimento da produção e aquecimento das economias locais”, afirmou.

Fonte: Assessoria de Comunicação da AGM

VÍDEO

BENEFÍCIOS

ANÚNCIOS

II Fórum Cidades Criativas

REDES SOCIAIS

Facebook Twitter Youtube Instagram